quinta-feira, 21 de março de 2013

Coreia do Norte ameaça bases dos EUA no Japão e na Coreia do Sul Alerta foi emitido por rádio à população norte-coreana. País colocou exército em alerta e disse que alvos estão ao seu alcance

A Coreia do Norte colocou seu Exército de prontidão nesta quinta-feira (21) e ameaçou atacar as bases dos Estados Unidos no Japão, em resposta às manobras militares conjuntas de Coreia do Sul e EUA, informou o ministério sul-coreano da Unificação. As forças norte-coreanas entraram em prontidão e um alerta foi emitido por rádio à população, disse um porta-voz do ministério encarregado das relações entre as duas Coreias. Paralelamente, a agência oficial norte-coreana "KCNA" divulgou uma ameaça às bases militares americanas no Japão e em Guam como retaliação aos voos de bombardeiros B-52 sobre a península coreana, como parte das manobras conjuntas. "Os EUA não devem esquecer que a base aérea de Anderson, em Guam, de onde decolam os B-52, do mesmo modo que as bases navais na ilha principal do Japão e em Okinawa, estão no nosso alcance", advertiu o comando supremo do Exército norte-coreano em um comunicado transmitido pela KCNA. Na quarta-feira (20), a Coreia do Norte qualificou de "provocação imperdoável" o voo de treinamento de um bombardeiro B-52 americano sob o espaço aéreo sul-coreano, e ameaçou retaliar com uma ação militar. "É uma provocação imperdoável", afirmou um porta-voz do ministério norte-coreano das Relações Exteriores em declarações à agência KCNA. "Os EUA introduzem meios de ataque estratégico nuclear na península coreana quando a situação está a ponto de descambar para a guerra", denunciou a chancelaria em Pyongyang, prometendo uma "resposta militar vigorosa caso tal bombardeiro realize uma nova saída". O Pentágono revelou na segunda-feira (18) que no dia 8 de março um bombardeiro estratégico B-52 sobrevoou a Coreia do Sul durante as manobras "Foal Eagle" entre os dois países. A agência sul-coreana "Yonhap" informou outro voo de B-52, na terça-feira (19). Coreia do Sul apresenta míssil capaz de atacar comando militar do Norte Anúncio foi feito dois dias após criticado teste nuclear da Coreia do Norte. Míssil é arma guiada de precisão, afirma Seul. Coreia do Sul anunciou nesta quinta-feira (14) que mobilizou um novo míssil de cruzeiro suficientemente preciso para poder atacar diretamente membros do comando militar norte-coreano, dois dias após o terceiro teste nuclear da Coreia do Norte. O ministério da Defesa sul-coreano apresentou à imprensa imagens deste míssil que foi mobilizado recentemente, e que pode ser disparado a partir de um barco de guerra ou de um submarino. "O míssil de cruzeiro apresentado hoje (quinta-feira) é uma arma guiada de precisão que pode identificar e atacar a janela do gabinete de comando do quartel-general do Norte", indicou à imprensa Kim Min-Seok, porta-voz do ministério. Seul havia anunciado na quarta-feira que reforçará seu sistema de mísseis balísticos, dotando-os de um alcance suficiente para cobrir toda a Coreia do Norte. Imagem do Ministério da Defesa da Coreia do Sul divulgada nesta quinta-feira (14) mostra o teste do míssil de cruzeiro (Foto: AFP) Em outubro do ano passado, a Coreia do Sul fez um acordo com os Estados Unidos para quase triplicar o alcance de seus sistemas de mísseis e melhorar assim seu dispositivo, em resposta aos programas de mísseis e nuclear da Coreia do Norte. Os Estados Unidos têm 28.500 homens mobilizados na Coreia do Sul, onde asseguram um "guarda-chuva" em caso de ataque nuclear. Em troca desta proteção, a Coreia do Sul aceita limitar seu sistema de mísseis. Antes do acordo de outubro, a capacidade da Coreia do Sul estava limitada a mísseis de até 300 quilômetros de alcance. A nova extensão não apenas coloca a Coreia do Norte ao alcance dos mísseis do Sul, mas também partes de China e Japão. Alguns especialistas consideram que inclusive dotará a Coreia do Sul da capacidade de lançar ataques preventivos contra instalações nucleares norte-coreanas. Após o teste nuclear da Coreia do Norte realizado na terça-feira, o chefe da agência sul-coreana de inteligência advertiu que Pyongyang pode realizar outro teste nuclear ou lançar um novo foguete nos próximos dias ou semanas. Para ler mais notícias de Mundo, clique em g1.globo.com/mundo. Siga também a editoria de Mundo no Twitter e por RSS. FONTE:G1.COM

Postar um comentário