sexta-feira, 22 de março de 2013

parque municipal de belo horiznte apresenta impressões de maus tratos veja

CAMISINHA NO LAGO PARQUE MUNICIPAL BELO HORIZONTE-MG EM UMA VISITA AO PARQUE MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE NA QUINTA FEIRA DIA 22 DE MARÇO DE 2013 EU FIQUE TRISTE COM SINAIS DE DESCASO E MAUS TRATOS EM UM LUGAR ONDE VISITANTES FREQUENTAM E ESPERAM RELAXAR MAS COM UMA CENARIO COMO MOSTRA AS FOTOS ABAIXO NÃO DA PARA QUEM TEM AMOR A NATUREZA RELAXAR VJA UMA CAMISINHA FOI FLAGRADA BOINDO DENTRO DO LAGO BOIANDO COM FOLHAS GARRAFAS E LIXO DENTRO DE UM LAGO ONDE VIVE ANOMAIS COMO PEIXES ,PATOS,GARÇAS,PATOS SILVESTRES, NÃO TEM MUITO TEMPO QUE O PAQUE MUNICIPAL FOI PALCO DE UM DESASTRE EM QUE UMA ARVORE CAIU EM UMA MULHER LEVANDO A MORTE . VEJA A REPORTAGEM ARQUIVO Árvore de grande porte cai e mata mulher no Parque Municipal de BH Do G1 MG. Uma mulher morreu depois que uma árvore de grande porte caiu sobre ela no Parque Municipal Américo Renê Giannetti, na Região Central de Belo Horizonte. As informações são da Polícia Militar (PM). Ainda de acordo com a corporação, a mulher ainda não foi identificada. Equipes do Corpo de Bombeiros e da PM estão no local e aguardam rabecão. Segundo o diretor do parque, Homero Brasil, a árvore que caiu era um pé de Jatobá, que tinha cerca de 20 anos e 30 metros de altura. Segundo ele, a árvore caiu, provavelmente, por causa do excesso de chuvas na capital nas últimas semanas. “O terreno perde as características originas e perde também resistência”, disse. Uma equipe da Fundação Municipal de Parques composta por um engenheiro florestal e uma bióloga foi acionada para fazer uma perícia na árvore e tentar identificar o motivo da queda. Ainda de acordo com o diretor do parque, toda segunda-feira uma equipe da fundação faz podas corretivas. Ao todo são 3.700 árvores no Parque Municipal, algumas centenárias, segundo a direção. Homero Brasil informou que no fim do ano passado, foi feito tratamento contra pragas e cupins em mais de 300 árvores. Para ele, a morte da mulher é uma “fatalidade, ainda mais em um local de refúgio”. Técnicos da Prefeitura condenam 10% das árvores vistoriadas no Parque Municipal No primeiro dia de vistoria, foi verificado a necessidade de retirar árvores do local Vinte e uma árvores do total de 201 do Parque Municipal Américo Renné Giannetti, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, estão condenadas. No primeiro dia da vistoria dos exemplares verificou-se a necessidade de retirar flamboyants, ipês, jaqueiras e palmeiras-leque.O objetivo, segundo técnicos da Prefeitura de BH (PBH) é evitar novos acidentes, como o ocorrido na terça-feira passada, quando a queda de um tronco de jatobá, degradado pela ação dos cupins na raiz, provocou a morte de Maria de Fátima Ferreira, de 57 anos, que fazia caminhada no espaço verde. Mantida a taxa de 10% de supressão, é possível que seja necessária a retirada de 370 exemplares dos 3,7 mil existentes no espaço público. Segundo o presidente da Fundação de Parques Municipais (FPM), Luiz Gustavo Fortini, ainda não há data para reabertura do espaço público, interditado desde quarta-feira. Só na próxima semana a PBH emitirá nova nota com informações. Segundo Fortini, foram traçadas estratégias para resolver a situação no Parque Municipal, que completou 113 anos em 2011, é três meses mais velho que a capital e tem espécies vegetais centenárias. A meta é que as oito equipes, com total de 28 especialistas, avaliem cerca de 240 plantas por dia e façam, onde necessário, intervenções LOGO DEPOIS O ACIDENTE AS ARVORES CONSIDERADAS PERIGOSAS FORAM CORTADAS ALGUMAS SERVIRAM COMO BANCO DE ACENTO FONTE:MUNDO LIVE NEWS NOTICIAS
Postar um comentário