sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Ambulância leva mulher que pesava 24 kg para HC, em São Paulo Aline Alves deixou Santa Casa de Piratininga, SP, nesta sexta-feira (25). Ela sofre de anorexia nervosa, mas diz estar confiante na recuperação.

Uma ambulância da prefeitura de Piratininga (SP) levou, na madrugada desta sexta-feira (25), Aline Alves da Silveira Souza, de 34 anos, para o Hospital das Clínicas de São Paulo. Ela estava há 16 dias internada na Santa Casa da cidade em tratamento de uma anorexia nervosa. Antes de iniciar o acompanhamento médico, Aline pesava apenas 24 quilos distribuídos em 1,56 metro. Ela conseguiu uma vaga no centro de referência na capital e ficará sob cuidados médicos na ala especializada de anorexia. “Quero muito sair dessa. Minha recuperação é tudo pra mim. Agradeço demais a atenção dos funcionários da Santa Casa de Piratininga e, agora, espero continuar me curando”, disse Aline.ex-gerente de restaurante foi acompanhada pela mãe, Teresa Alves. As duas arrumaram as malas e subiram na ambulância. “Fico muito feliz porque minha filha e eu conquistamos novas amigas na Santa Casa. Todos foram muito atenciosos. Agora é mais uma fase na caminhada de superação dessa doença”, contou Teresa. Biscoito e chá foram os últimos pedidos de Aline na Santa Casa de Piratininga. “Estava com fome. Dormi um pouco antes do horário programado. Espero que tudo corra bem. Vou me recuperar para voltar a ter uma vida saudável. Quero colocar meus sapatos, roupas e tudo mais. Mas primeiro, rezar para que o tratamento me faça curar dessa doença."
Ela pediu chá e biscoito antes da viagem (Foto: Alan Schneider / G1 Entenda o caso A primeira crise de anorexia em Aline ocorreu entre os 13 e 17 anos de idade. Ela disse que no tempo de escola, os alunos a chamavam de gorda. Apesar de mostrar os sintomas da anorexia, no fim da adolescência, a mulher se casou e pouco depois teve a filha. Natural de Petrópolis, no Rio de Janeiro, Aline mora em Bauru há 13 anos. A segunda crise dele foi mais grave. Há três anos, a demissão do emprego de gerente em um restaurante e a separação do marido fizeram agravar a sua saúde. A perda drástica de peso fez com que ela tivesse vergonha com a aparência e sequer deixava o apartamento onde mora. Antes da internação na Santa Casa de Piratininga, a alimentação dela era praticamente à base de água.
FONTE :G1.COM

Postar um comentário