segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Após espionagem, Lobão determina reforço na proteção de dados Fantástico revelou que Ministério de Minas e Energia foi espionado. Ministro aponta tentativa de obtenção de ‘informações estratégicas’.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou nesta segunda-feira (7), por meio de nota, que determinou uma “rigorosa avaliação e reforço” dos sistemas que protegem a rede de computadores e de telefonia do ministério. A decisão foi anunciada após reportagem do Fantástico revelar que o Ministério de Minas e Energia foi alvo de espionagem. A reportagem teve acesso a uma apresentação da Agência Canadense de Segurança em Comunicação (CSEC, na sigla em inglês) entregue por Edward Snowden – ex-analista contratado da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EUA, que revelou as ações de inteligência norte-americana e que está exilado na Rússia –, ao jornalista Glenn Greenwald, coautor da reportagem junto com Sônia Bridi. Os documentos apontam que o Ministério de Minas e Energia foi alvo de espionagem e que, na mira do órgão canadense, estava a rede de comunicações da pasta – telefonemas, e-mails e uso da internet –, que, segundo a apresentação, foi mapeada em detalhes. “Embora o Ministério de Minas e Energia tenha sistemas de proteção de dados considerados entre os mais seguros, e a maioria de suas informações seja de domínio público, estou determinando rigorosa avaliação e reforço desses sistemas e a análise do que possa ter sido objeto de espionagem”, informa a nota assinada por Lobão e divulgada no site do ministério. O ministro, ainda de acordo com a nota, diz que a invasão dos sistemas de comunicação e de armazenamento de dados do ministério, denunciada pelo Fantástico, é “grave, na medida em que sugere a tentativa de obtenção de informações estratégicas relacionadas com as áreas de atribuição da pasta, e merece o nosso repúdio". A nota também lembra que a presidente Dilma Rousseff já manifestou, durante discurso na assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), em setembro, a indignação do governo brasileiro com a espionagem praticada contra o Brasil. Bisbilhoteiros Ao chegar ao Congresso, para uma cerimônia de comemoração dos 60 anos da Petrobras, Edison Lobão disse que a revelação de espionagem contra o ministério é “lastimável”, mas que o país está tomando todas as providências para evita-la. Ele voltou a dizer que o sistema de proteção da rede de computadores do ministério será reforçada. “O sistema [de proteção de rede do ministério] é bom, é confiável, e procuraremos daqui para frente melhorá-lo para evitar que bisbilhoteiros fiquem mexendo no nosso sistema.” Também na manhã desta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff escreveu em sua conta no Twitter que as denúncias de que o Ministério de Minas e Energia foi alvo de espionagem mostram que essas ações que têm o Brasil como alvo são motivadas por razões econômicas e estratégicas. Ela afirmou ainda que o Itamaraty vai exigir explicações do Canadá. fonte:g1.com

Postar um comentário