sábado, 2 de novembro de 2013

Aeroporto de Los Angeles reabre 2 terminais após tiroteio Na sexta (1º), atirador de 23 anos matou um e feriu 7 no aeroporto. Antes de atacar, suspeito teria dito à família que pensava em suicídio.

O Aeroporto de Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos, que esteve fechado por conta de um atirador, reabriu, na madrugada deste sábado (2) os terminais 1 e 2. O terminal 3, porém, onde o rapaz abriu fogo na sexta (1º), matando uma pessoa e ferindo outras 7, segue fechado. Grandes filas e aglomerações foram registradas nos terminais 1 e 2. A polícia local informou ainda que o trânsito nas vias de acesso ao complexo têm tráfego intenso e lento. O tiroteio ocorreu pela manhã. A TSA (Agência de Segurança de Transporte) confirmou que um de seus agentes morreu e outro ficou ferido no incidente. O morto é Gerardo Hernandez, de 39 anos. Seis dos feridos foram hospitalizados, segundo os bombeiros. O suspeito atirou com um rifle de assalto próximo ao controle de segurança do terminal 3, foi atingido pela polícia do aeroporto e está ferido, em um hospital, sob custódia. Ele não corre risco de morrer. O atirador foi identificado como Paul Ciancia, de 23 anos, um morador da região, disse a congressista Loretta Sanchez à CNN. Sanchez, democrata da Califórnia, integra o comitê de Segurança Nacional. Ainda de acordo com a CNN, investigações encontraram informações que ligam o suspeito a um "sentimento antigoverno federal e raiva da Administração de Segurança do Transporte", segundo um oficial. Segundo a polícia de Nova Jersey, Ciancia teria mandado mensagens a um parente, antes do ataque, falando que tinha intenções de cometer suicídio. Ele era morador de Pennsville, em Nova Jersey, mas costumava passar temporadas na região de Los Angeles. A polícia disse que o atirador agiu sozinho e descartou a existência de mais suspeitos. O suspeito sacou a arma e começou a atirar quando apresentava os documentos no ponto de checagem de segurança, segundo Patrick Gannon, chefe da polícia do aeroporto. De acordo com a imprensa americana, o suspeito andava calmamente pelo local até começar a atirar. O "LA Times" disse que, segundo as autoridades, o atirador não parece ter conexões com grupos terroristas. mapa tiroteio los angeles v. 4 (Foto: 1) O tiroteio ocorreu por volta das 9h20 locais (14h20 do horário brasileiro de verão), segundo a administração do aeroporto em sua conta no Twitter. Vários passageiros ligaram para o telefone de emergência da polícia para relatar o caso. Os aviões permaneceram em solo no aeroporto logo após o incidente, mas os voos aos poucos iam sendo retomados. Segundo o aeroporto, 746 voos foram afetados e 46 foram desviados. As forças policiais ainda estão em alerta em toda a cidade. Testemunhas O passageiro Robert Perez disse que estava tirando uma soneca quando o pânico começou, segundo a TV local KCLA/CBS. "Ouvi um estouro, e todo mundo estava se jogando no chão para se proteger", disse. "A segurança disse que havia um tiroteio no terminar e evacuou o prédio. Os passageiros foram levados a um ônibus e se dirigiram a um terminal menor, segundo ele. Um passageiro disse ter visto o agente da TSA baleado na perna "Parecia que ele tinha saído direto de um filme", disse Brian Adamick, segundo a CBS. De acordo com a testemunha, o agente disse: "Eu fui baleado, estou bem". A testemunha também afirmou que o agente disse já ter sido baleado anteriormente. Tony Bellecci, do programa de TV Mythbusters, disse no Twitter: "Ouvimos tiros e então todos correram para a porta. Não estou certo se alguém se feriu." Obama preocupado O presidente americano Barack Obama disse que estava "preocupado" com o tiroteio em Los Angeles, mas não quis entrar em detalhes. As declarações foram feitas durante entrevista conjunta com o premiê do Iraque, Nuri al-Maliki. O tiroteio desta sexta deve impulsionar o debate sobre a segurança nos aeroportos americanos, considerados um alvo em potencial para grupos terroristas. O último ataque a tiros ocorrido no aeroporto de Los Angeles remontava a 2002, quando um atacante de origem egípcio abriu fogo no mostrador da empresa israelense El Al, deixando dois mortos e vários feridos. O atacante foi abatido por um agente de segurança da companhia.
FONTE:G1.COM

Postar um comentário