segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Pais pedem ajuda para tratamento a laser em criança que sofre com pelos Segundo a mãe, pelos estão crescendo cada vez mais grossos e doença não é detectada

Criança tem todo o corpo coberto por pelos, até o rosto e palma das mãos Reprodução Rede Record Os pais da pequena Kemylly pedem ajuda para dar andamento ao tratamento da garota que tem o corpo coberto por pelos. A família entrou com um pedido no Ministério Público e conseguiu atendimento em Goiás, mas os médicos do Hospital das Clínicas recomendaram um tratamento a laser para remoção dos pelos, que não é oferecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde). A família é de Tocantins e o pai, Antônio de Souza, disse que não tem mais recursos financeiros para permanecer em Goiás e nem para pagar o tratamento a laser particular. Ele pede ajuda e qualquer contribuição pode ser depositada na conta corrente 0690436-0, agência 6907-8, banco Bradesco. Após a determinação da Justiça, a família viajou a Goiás e os especialistas pediram exames que somente laboratórios particulares oferecem. Após reportagens que mostraram a situação de Kemylly exibidas na televisão, um estabelecimento ofereceu os exames gratuitamente. Leia mais notícias de Cidades A remoção dos pelos acontece de forma paralela ao tratamento clínico. Os exames feitos em laboratório ainda serão analisados pelos médicos. A suspeita é de uma doença genética rara. VEJA MAIS GO: SUS falha ao atender criança que sofre com pelos e família aciona Promotoria Segundo a mãe, pelos estão crescendo cada vez mais grossos e doença não é detectada
Menina tem pelos por todo o corpo, até nas palmas das mãos Reprodução Rede Record Com dois anos e oito meses, a pequena Kemylly tem o corpo coberto por pelos. A família da criança precisou entrar com um pedido no Ministério Público como mais uma tentativa de forçar o SUS (Sistema Único de Saúde) a oferecer um tratamento à menina. A família mora no Tocantins e conseguiu, a pedido do MP, atendimento em Goiás. O pai, Antônio de Souza, informou que a criança já nasceu com bastante pelo, mas que eles vêm crescendo grossos e cada vez em mais quantidade. Os médicos suspeitam que seja um problema genético, mas a doença ao certo nunca foi definida. Após a determinação da Justiça, a família viajou a Goiás e a criança passa por atendimento no Hospital das Clínicas da capital. Os especialistas pediram exames que somente laboratórios particulares oferecem. Após reportagens que mostraram a situação de Kemylly exibidas na televisão, um estabelecimento ofereceu os exames gratuitamente. Os novos laudos devem ficar prontos em 30 dias, quando a menina deve retornar ao hospital para nova avaliação. A direção da unidade informou que terá a ajuda de um profissional voluntário especialista neste tipo de doença para atender o caso. FONTE:r7.com/CMug

Postar um comentário