quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Americano Decapitado Liberdade de Jornalista Valia US$ 132 Milhões

Sequestradores de jornalista pediram US$ 132,5 milhões por sua libertação Informação foi dada pelo presidente do 'GlobalPost', Philip Balboni. EUA revelaram terem enviado uma missão para tentar soltar jornalista.
Imagem do vídeo divulgado na internet que mostra a suposta decapitação de Jame Foley (Foto: Reprodução/Archive.org) Os jihadistas do Estado Islâmico (EI) pediram US$ 132,5 milhões para libertação do jornalista americano James Foley, sequestrado na Síria em 2012 e decapitado nesta semana, informou o "GlobalPost", publicação para o qual o profissional trabalhava. Philip Balboni, presidente do "GlobalPost", disse ao "Wall Street Journal" que a quantia foi solicitada à agência e à família de Foley. O presidente da agência evitou comentar à resposta que foi dada ao pedido do EI e se limitou a afirmar que todas as conversas com os sequestradores foram comunicadas às autoridades americanas. A informação foi anunciada após os Estados Unidos revelarem que tinham enviado uma missão secreta neste ano para a região de atuação do EI (Síria e Iraque) para tentar libertar Foley. "Tratou-se de uma operação por terra e ar e se focou em uma rede particular do EI. Infelizmente, a missão não teve êxito porque os reféns não estavam no local onde pensávamos", explicou em um comunicado o porta-voz do Pentágono, o contra-almirante John Kirby. Foley, de 40 anos, foi sequestrado em novembro de 2012 quando se dirigia para a fronteira com a Turquia, e embora em um princípio pensava-se que estava em mãos de milícias pró-governo, mais tarde se soube que tinha sido capturado pelos jihadistas do EI na Síria. No vídeo de sua decapitação, o carrasco de Foley aparece junto a outro jornalista americano sequestrado, Steven Joel Sotloff, e cuja vida "depende da próxima decisão de (presidente Barack) Obama", segundo o militante do EI. FONTE:G1.COM

Postar um comentário