quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Criança tenta vender celular para ajudar mãe após incêndio no RS Segundo família, atitude sensibilizou moradores de Ijuí, no Norte do estado. Telefone de menina foi um dos poucos objetos não destruídos por fogo.

Casa de Clara ficou destruída após incêndio em Ijuí, RS (Foto: Abel Oliveira/Ijuí News) A atitude de uma criança diante da destruição da casa onde a família morava em um incêndio sensibilizou nesta semana moradores de Ijuí, na Região das Missões do Rio Grande do Sul. Ao ver a comoção dos familiares, Maria Clara Silva Santos, de oito anos, tentou vender um telefone celular na última sexta-feira (1) para ajudar a mãe a repor os pertences consumidos pelo fogo. O telefone da menina foi um dos poucos objetos não atingidos pelas chamas.
Maria Clara Silva Santos, de oito anos, tentou vender celular (Foto: Arquivo pessoal) Segundo parentes, após a história ganhar repercussão em um site de notícias local, dezenas de doações foram enviadas, estabelecendo o início de uma corrente de solidariedade. Tia de Clara, a confeiteira Cláudia Helenita dos Santos, de 39 anos, contou que o celular foi oferecido por ela a um repórter do Portal Ijuí News, que registrava os desdobramentos do incêndio próximo à casa. Segundo a mulher, a menina chorava no momento em que tomou a iniciativa. "A família perdeu tudo o que eles tinham. O celular foi um dos poucos objetos que restaram. Porém, a mãe dela não aceitou a venda. Disse que não precisava, que daríamos um jeito", disse Cláudia ao G1. Feita de madeira, a residência vinha sendo emprestada à família de Clara por um morador de Ijuí, que decidiu mantê-los como caseiros no local. Após o incêndio, iniciado por motivos ainda desconhecidos, a menina, o pai, a mãe e os dois irmãos dela, de cinco e sete anos, passaram a morar em uma chácara na zona rural de Ijuí.
Menina tenta vender celular para poder reconstruir casa consumida pelas chamas no RS (Foto: Abel Oliveira/Ijuí News) Enquanto isso, doações de móveis, colchões e roupas não param de chegar, de acordo com a tia. Com a repercussão nas redes sociais, até moradores de cidades distantes como Caxias do Sul, na Serra, Uruguaiana, na Campanha, e Porto Alegre passaram a apoiar a recuperação financeira da família de Clara. "Ajudou a sensibilizar. A comunidade está sendo fantástica. Não esperava tanto. Já estamos até com dificuldade para transportar tudo que chega. Mas ainda falta muita coisa, principalmente móveis de cozinha", relatou Cláudia. FONTE :g1.com

Postar um comentário