terça-feira, 30 de setembro de 2014

TEM CIGARRO APAGADO NO ROSTO :Suspeita de tortura usou a web para ameaçar rival: 'Imunda e pobre' Disputa entre as duas mulheres já tinha incluído recado via redes sociais. Suspeita postava fotos do casal e fez até tatuagem para o namorado.

jovem responsável por torturar uma garota e divulgar o vídeo das agressões pelas redes sociais já havia utilizado a web para ameaçar a rival, que segundo a agressora teria se envolvido amorosamente com o seu marido. O caso, que já está sendo investigado pela polícia, aconteceu em Praia Grande, no litoral de São Paulo, no início de setembro. Em uma mensagem postada no último dia 4, a autora das agressões desafia a rival: “Será que é difícil Após a repercussão do caso, a agressora começou a receber ameaças pelas redes sociais e chegou a deletar seu perfil no Facebook. Antes disso, porém, ela, que chegou a fazer uma tatuagem para o suposto pivô da confusão, havia feito postagens insinuando que o relacionamento teria chegado ao fim após a divulgação do vídeo com as agressões. "Não é mais meu, mas também não vai ser de mais ninguém", escreveu. Antes do vídeo ter se espalhado pelas redes sociais, a autora das agressões chegou a falar para as amigas que publicaria um vídeo espancando a vítima. "Já dei corda demais. Chega. Logo menos um vídeo da piranha apanhando", anunciou.
O caso Um vídeo com uma briga entre duas mulheres tem se espalhado nas redes sociais nos últimos dias. Na gravação, duas moradoras de Praia Grande, no litoral de São Paulo, travam uma espécie de “disputa” por um rapaz, namorado de uma delas. Nas imagens, a agressora apaga o cigarro no rosto da vítima, que supostamente teria tentado um relacionamento com o seu companheiro. A Polícia Civil já investiga o caso. você entender que o meu marido me ama?”, pergunta a suspeita, que completa em tom intimidatório. “Relaxa que o teu eu estou guardando”, afirma.No vídeo, que tem pouco mais de um minuto, a vítima aparece bastante machucada na face e, após ter o cigarro colocado em seu rosto, ainda é forçada a repetir palavras de baixo calão e “prometer” que não mais se relacionaria com o namorado da agressora, a quem ela chama de “Bolinho”. Equipes do 1º Distrito Policial (DP) de Praia Grande já estão investigando o caso, sobre o qual tiveram conhecimento através do vídeo que tem circulado amplamente pelas redes sociais. No entanto, o episódio não foi registrado pela vítima, que ainda não teve a sua identidade confirmada. Ainda de acordo com a polícia, a agressora já teria sido chamada para prestar depoimento sobre o caso na delegacia. Porém, até o momento, a jovem não se apresentou para dar esclarecimentos sobre a briga e, consequentemente, as suas agressões. FONTE:G1.COM

Postar um comentário