terça-feira, 28 de outubro de 2014

atacado por tigre

Menino atacado por tigre ganha prótese com desenho personalizado Vrajamany Fernandes Rocha esteve em Sorocaba para receber 'braço'. 'Que da hora', disse garoto sobre prótese doada por empresário da cidade. O menino Vrajamany Fernandes Rocha, que teve o braço direito amputado depois de ter sido atacado por um tigre no zoológico de Cascavel (PR), em 30 de julho, esteve em Sorocaba (SP) nesta quinta-feira (16) para receber o braço artificial doado pelo por um empresário da cidade, especializado em produtos ortopédicos. A prótese, que é estética e pesa pouco mais de um quilo, é personalizada com o desenho de um tigre, como foi pedido pelo garoto. Vrajamany chegou à clínica ortopédica ansioso para ver o desenho feito e doado ao menino pelo tatuador de Sorocaba Ricardo Bibiano. Em entrevista ao G1, o garoto contou que estava curioso para experimentar o braço mecânico e que queria ver o tamanho do desenho do tigre. "Tinham me dito que ia cobrir o braço todo e eu estava muito ansioso para ver. Achei muito 'da hora', adorei mesmo", comenta. Ele esteve em Sorocaba pela terceira vez acompanhado da mãe, padrasto e o irmão. Segundo o empresário Nelson Nolé, a prótese doada ficou de acordo como ele queria e o menino deixou a clínica já usando o braço mecânico. Além disso, Nolé ressalta que o desenho é tão importante quanto o braço em si para ajudar na autoestima dele. "O desenho serve para tirar qualquer tipo de preconceito e também lembrar a todo mundo que usar prótese não é nenhuma vergonha", explica o empresário. Vrajamany terá de voltar à clínica para fazer ajustes no ombro a cada seis meses. Nolé mostra desenho da prótese para Vrajamany e a mãe (Foto: Ana Carolina Levorato/G1)Nolé mostra desenho da prótese para Vrajamany e a mãe (Foto: Ana Carolina Levorato/G1) As próteses poderão ser trocadas a cada um ano e meio, acompanhando seu crescimento. O empresário se comprometeu a doar os braços estéticos até que Vrajamany faça 20 anos. "Essa é uma alegria enorme para a gente porque é algo de importância para o seu desenvolvimento. Também gostei muito do desenho que só reforça o quanto a gente é apaixonado por animais e sabemos que ele não teve culpa de nada. Foi uma fatalidade", disse a mãe do menino, Mônica Fernandes Santos. A prótese de Vrajamany foi feita de fibra de carbono com luvas de silicone. O cotovelo é mecânico, mas movido apenas como pêndulo, sem influência nos movimentos do menino. “Esta prótese é necessária para fazer o balanceamento do corpo, que ficou assimétrico após a amputação do braço. Ela tem como objetivo evitar problemas de coluna, não deixar que o ombro dele fique mais alto pela falta do braço e, por fim, ajudar no equilíbrio do corpo”, afirma Nolé. O caso que teve repercussão nacional comoveu o empresário Nelson Nolé, que tem a empresa especializada em próteses ortopédicas há quase 47 anos. De acordo com o protético, o valor do braço estético varia de R$ 15 mil a R$ 20 mil. O empresário é o mesmo que doou uma prótese para o ciclista David Santos de Souza, de 21 anos, que teve o braço direito amputado depois de ser atropelado na Avenida Paulista, em março do ano passado. Segundo Nolé, 30% dos produtos que produz são doados. “Nós escolhemos pessoas que não têm condições de pagar pelas próteses”, completa. Desenho de tigre Em entrevista ao G1, em setembro, o padrasto de Vrajamany, Luis Rigamonti, que acompanhou o garoto durante visita à clínica na cidade, contou que ele ficou encantado durante a passagem pela empresa de produtos ortopédicos e se interessou desde o início em fazer a "tatuagem" na prótese do animal que marcou a sua vida. "Ele não sabia o que ia encontrar quando foi até a empresa. O Vrajamany ficou encantado pelos desenhos e muito interessado no conceito das próteses. No começo, ele comentou que queria desenhar uma caveira no braço mecânico por gostar de rock n roll. Mas, em casa, ele viu que queria mesmo era ‘tatuar’ um tigre”, afirmou. Sem dores De acordo com a família, o garoto sofria com a chamada "dor fantasma", uma espécie de efeito colateral psicológico decorrente da amputação do braço direito. No entanto, a mãe de Vrajamany, Mônica Fernandes Santos, conta que ele está melhor e que não sente mais incômodos. “A gente brinca que o Vrajamany virou ‘menino do tempo’. Toda vez que começa a fazer frio ele sente um incômodo em um ponto da mão que ele perdeu, principalmente no local em foi a mordida do tigre. Mas não é como era antes e isso é uma vitória”, afirma a mãe. O menino faz terapia ocupacional duas vezes por semana para melhorar o condicionamento físico, além de acompanhamento com psicólogos. “O tratamento está indo bem e ele está progredindo a cada dia. Ele não tem mais dores na cicatriz e agora consegue andar melhor. É como se ele tivesse nascido de novo. Agora ele tem duas datas de aniversário. Além disso, criamos um site para que pessoas que tiveram membros implantados e deem dicas a ele", comenta. Vrajamany já voltou para a escola e passa o tempo livre mexendo no celular. Destro, ele ainda trabalha para recuperar a escrita. “Ainda não consigo escrever com o braço esquerdo e na escola uso um computador pra ficar mais fácil”, conta. Braço biônico Em uma das primeiras entrevistas divulgadas na imprensa, o menino falou sobre o interesse em adquirir uma prótese humanoide, que só responde aos movimentos básicos e não tem sensibilidade. No entanto, conforme as observações de Nolé, Vrajamany sofreu uma amputação total do braço, o que não permite que uma prótese biônica seja possível. “O braço inteiro desarticulou. Se tivesse sobrado alguma parte, seria possível fazer uma prótese ativada pelo comando cerebral. Mas infelizmente, esse não é o caso. O braço mecânico tem fins apenas estéticos." Sobre a afirmação do empresário, Luís diz que Vrajamany está consciente sobre a prótese oferecida pelo empresário e de que, a princípio, o equipamento biônico não está disponível. “Nós conversamos muito e ele sabe que isso não será possível. A prótese humanoide ainda está em testes e não serve por enquanto. Sabemos que ele vai se adaptar com a prótese estética”, diz.

PUBLICADA A PORTARIA QUE AUTORIZA O USO DE ARMA DE CALIBRE RESTRITO AOS AGENTES PENITENCIÁRIOS

Publicada Portaria que autoriza a aquisição de arma de calibre restrito aos agentes penitenciários e guardas prisionais! Parabéns aos Guerreiros que lutaram por mais esta conquista. ASPEGO DE LUTA. DEUS É MAIS.! Publicada Portaria que autoriza a aquisição de arma de calibre restrito aos agentes penitenciários e guardas prisionais! Parabéns aos Guerreiros que lutaram por mais esta conquista. ASPEGO DE LUTA. DEUS É MAIS.! PORTARIA Nº 1.286, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014. Autoriza a aquisição de arma de fogo de uso restrito, na indústria nacional, para uso particular, por integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais e dá outras providências. O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 4o da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010, e o inciso VI do art. 3º combinado com o inciso I do art. 20 da Estrutura Regimental do Comando do Exército, aprovada pelo Decreto nº 5.751, de 12 de abril de 2006, considerando o disposto no art. 6º e no art. 27 da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003, e no art. 18 do Decreto nº 5.123, de 1º de julho de 2004, e de acordo com o estabelecido nos arts. 189 e 190 do Decreto nº 3.665, de 20 de novembro de 2000, e, ainda, de acordo com o que propõe o Comando Logístico, resolve: Art. 1º Autorizar os integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais a adquirirem, na indústria nacional, para uso particular, 1 (uma) arma de porte, de uso restrito, dentre os calibres .357 Magnum, .40 S&W ou .45 ACP, em qualquer modelo, observadas as condições previstas no §1º -B do art. 6º da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003. Art. 2º Determinar ao Comando Logístico que edite normas reguladoras da aquisição, do registro, do cadastro e da transferência de propriedade de armas de fogo de uso restrito adquiridas pelos integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais e, ainda, a aquisição das correspondentes munições, estabelecendo: I - mecanismos que favoreçam o controle das armas; II - o destino das armas após o falecimento do adquirente, ou qualquer impedimento que contraindique a propriedade e posse de armas de fogo; e 10 - Boletim do Exército nº 43, de 24 de outubro de 2014.III - o destino das armas nos casos de exoneração, voluntária ou de ofício, dos integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais. Art. 3º Estabelecer que esta portaria entre em vigor na data de sua publicação. Publicado no Boletim do Exército de 24 de outubro de 2014. http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php FONTE :BLOG ALFA PAPA

PÊNIS CORTADO FORA :SUPOSTO ESTUPRADOR TEVE O PÊNIS ARRANCADO

POPULAÇÃO PEGA ESTUPRADOR E METE A PEIXEIRA NO PÊNIS DELE No estado indiano de Rajasthan moradores fizeram justiça com as próprias mãos.Espancaram brutalmente um homem suspeito de tentativa de estupro.O suposto estuprador otchlenili teve seu pênis,cortado e após socorrido foi levado ao hospital em estado crítico. O massacre ocorreu na cidade de Sri Ganganagar. Transeuntes ouviu os gritos da menina que após o homem de 40 anos de idade, tê-lo presa à parede tentava lhe estuprar. Na cena, as pessoas vieram correndo. Eles pegaram o suspeito e o levaram para o açougue, onde ocupou um linchamento, escreve The Daily e Sunday Express . O suposto estuprador foi espancado e depois teve seu pênis cortado com uma machadinha onde seria colocado no abate. Na imprensa tem fotos tiradas por um dos vigilantes. Algumas imagens não foram incluídos na publicação pelo o fato de ser muito chocante. De acordo com moradores locais,os mesmos viram o homem agonizando ao solo se esvaindo em sangue, mas ninguém veio para ajuda-lo . Todo mundo sabia que ele foi punido por crimes sexuais. "Recentemente, temos visto um monte de crimes em nosso país, cometidos contra as mulheres,sendo elas algumas meninas,que foram estupradas e enforcadas. É hora de parar com isso,. "- disse um dos moradores. Segundo ele, o pênis cortado é uma severa advertência para aqueles que querem repetir,e seguir a vida de estuprador "Se você fizer isso, você vai ser punido", - concluiu o indiano. FONTE:BLOG ALFA PAPA MG

sábado, 18 de outubro de 2014

fogo atinja residências na Serra do RJ Combate neste sábado (18) é feito na região de Secretário, em Petrópolis. No Parnaso, três novos focos foram apontados em outras áreas do parque.

Bombeiros tentam evitar que fogo atinja residências na Serra do RJ Combate neste sábado (18) é feito na região de Secretário, em Petrópolis. No Parnaso, três novos focos foram apontados em outras áreas do parque. Bombeiros de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, continuam, na manhã deste sábado (18), tentando impedir que o incêndio florestal na localidade de Secretário, quarto distrito do município, atinja residências na Estrada da Rocinha e Auto do Pegado. As equipes atuaram na região até a madrugada e retornaram logo cedo ao local. Duas frentes com 10 homens, cada, já atuam por terra. De acordo com o comandante dos Bombeiros Áerea Serrana, coronel Roberto Robadey, três aeronaves darão suporte nas ações deste sábado, incluindo uma do Exército prevista para chegar no destacamento de Itaipava às 11h.
Foco deste sábado será na região de Secretário (Foto: Corpo de Bombeiros) Ainda segundo o comandante, o trabalho neste sábado, que contará com cerca de 200 homens, será reforçado na localidade de Secretário, por conta da proximidade com as residências.“Nessa região estamos com mais ocorrências e estamos demorando mais para controlar o fogo, pois é uma área muito grande. Nossa última equipe retornou por volta de 3h da manhã. Acertamos ontem com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que vamos focar nessa região e depois daremos apoio ao trabalho no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), que hoje terá reforço de aeronaves do estado e do Ibama”, explicou o comandante. Segundo o Corpo de Bombeiros, a estimativa é de que a área consumida pelo fogo, em toda a cidade, já tenha aumentado para quase 4 mil hectares, o equivalente a aproximadamente 3.720 campos de futebol. Este número é considerado somando a área atingida no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso).
Equipe do ICMBio no Parnaso em Petrópolis (Foto: Fernanda Soares/G1) Combate no Parnaso Três novos focos de incêndio foram identificados nesta sexta-feira (17) dentro do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso) e já estão sendo combatidos, neste sábado, por brigadistas do parque. Três grupos foram encaminhadas as áreas do Jacó e Bonfim, na área em Petrópolis, e no Franco, já em Teresópolis. De acordo com o chefe da reserva, Leandro Goulart, os focos são distintos ao incêndio florestal que já destruiu 595 hectares de área do parque, além dos 550 no entorno da unidade, que fazem parte da Área de Proteção Ambiental (APA). A grande preocupação, segundo Leandro, continua sendo a parte alta do Parnaso, na Pedra do Mamute, que tem vegetação altamente inflamável. A área é de difícil acesso e não há comunicação por rádio ou por telefone. Nesta sexta, os brigadistas caminharam por mais de cinco horas e não conseguiram chegar ao foco do incêndio. De acordo com o chefe da reserva, seria necessário uma caminhada de mais três horas para chegar próximo ao fogo. Cerca de 90 homens – 51 brigadistas do parque, 15 voluntários (ex-brigadistas), 14 homens do Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro, e mais sete do Parque Nacional da Restinga de Jurubatinga, em Macaé – aturão no combate ao fogo neste sábado. O trabalho vai contar com a ajuda de duas aeronaves – uma do Polícia Civil e a do Ibama, que deve chegar em Teresópolis à tarde, por volta de 14h. tópicos: FONTE:G1.COM

aluga iPhones para 'ostentação' Marco Aurélio Costa aluga celulares por até R$ 170 dependendo do modelo. Editor de imagens já possui 5 smartphones da Apple para alugar em Natal.

'Ganho R$ 2 mil por mês', diz editor que aluga iPhones para 'ostentação' Marco Aurélio Costa aluga celulares por até R$ 170 dependendo do modelo. Editor de imagens já possui 5 smartphones da Apple para alugar em Natal.
Marco Aurélio (direita) tem ampliado o negócio com novos iPhones (Foto: Arquivo pessoal/Marco Aurélio Costa) O iPhone 5 pode ser alugado por R$ 120. A versão 5S sai por R$ 170. É o preço para ter o smartphone da Apple por 24 horas. Com a proposta de alugar um dos celulares mais desejados do mercado, o mineiro Marco Aurélio Costa, 28 anos, tem ganho uma média de R$ 2 mil por mês em Natal. O editor de imagens credita o sucesso do negócio ao desejo das pessoas de 'ostentar' o produto. "Como não podem comprar um iPhone, as pessoas alugam. E com as redes sociais, muita gente quer mostrar que está na vida boa. É a coisa da ostentação", diz. O negócio começou quando Marco Aurélio comprou um smartphone novo e ficou com dois iPhones em casa. "Preferi locar do que vender. Minha primeira cliente foi uma jovem de 19 anos que queria um telefone porque o namorado não tinha condição de comprar. Tirou várias fotos, gostou e espalhou para amigos", explica. Do boca a boca a frequência a locação de celulares aumentou, assim como o preço do aluguel. "Comecei cobrando R$ 80 e aumentei depois da repercussão", afirma. Atualmente o editor de imagens possui cinco iPhones, quatro do modelo 5 e outro 5S. "O 5S é o que faço uso pessoal, mas também alugo. Neste fim de semana, por exemplo, estou usando um celular mais antigo que nem foto tira", revela Marco Aurélio, que chegou a Natal em fevereiro e está no negócio de aluguel de celulares desde maio. A renda extra Marco Aurélio usa para lazer. "Dá para garantir os fins de semana na praia", brinca. Quando anunciou o aluguel de iPhones em um grupo da Apple nas redes sociais, as pessoas acharam que Marco Aurélio estava fazendo piada. "Alugo iPhone 5S para vc curtir nas baladas. 150 reais a diária, a primeira impressão sempre será a primeira que ficará (sic)", dizia o anúncio, que foi apagado pela administração do grupo. "Mesmo assim teve gente que me ligou perguntando se era sério e consegui alugar", afirma. Mesmo com o crescimento da clientela, o editor de imagens afirma que não aluga o smartphone para qualquer um. "Não é fila de sopa. E a maioria que aluga não gosta de ser identificado. Até porque se for identificado derruba a fantasia toda", reforça. Até hoje ninguém deu calote ou roubou os smartphones. "Uma metade é paga antes da locação e a outra na devolução. Só pego o CPF. Se perder eu rastreio o celular", acrescenta. O acerto, segundo Marco Aurélio, é sempre na palavra, no entanto o mineiro já estuda fazer contratos com os clientes.
Sem revelar o nome dos clientes, Marco Aurélio conta histórias de pessoas que alugam seus Iphones. "Teve um cara que alugou para sair com uma menina. Acho que ajudou porque os dois estão juntos até hoje. Outra garota locou e na hora de baixar um aplicativo precisou usar meu nome. As pessoas pensaram que o celular era roubado", brinca. A maioria da clientela é formada por homens jovens. "Para cada mulher tem três homens alugando. Querem impressionar a mulherada", diz. O negócio tem dado tão certo que o editor de imagens até brinca sobre ampliar a variedade de produtos. "Se eu tivesse uma Lamborghini alugaria. Penso até em comprar umas cuecas da Calvin Klein para o pessoal usar e deixar mostrando", conta. O editor de imagens já recebeu proposta de um amigo para se associar ao negócio. Enquanto a parceria não é fechada, a nova meta é comprar a versão 6 do smartphone, que o mineiro pretende alugar por R$ 220. "Estou só esperando o preço baixar para comprar. Tem que aproveitar antes de aparecer concorrência alugando mais barato. Falando nisso, você tem iPhone? Se não tiver estamos aí", diz Marco Aurélio, antes de encerrar a conversa com a reportagem do G1. FONTE:G1.COM

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

GARIS PEGA LIXO DE CAMPANHA COM AS MÃOS EM RIBEIRÃO DAS NEVES

LUVA RASGADA,ROUPAS DESCONFORTÁVEIS,O MATERIAL DE TRABALHO CARREGADO AMARRADO AO CORPO .TRABALHO PESADO E COTIDIANO DE FUNCIONARIAS DA PREFEITURA DE RIBEIRÃO DAS NEVES NÃO É NADA FÁCIL PARA QUEM GANHA UMA MIXARIA DE SALÁRIO POR MÊS.E AINDA SÃO OBRIGADAS A LIMPAR SUJEIRA DE CANDIDATOS SUJÕES.ESTA VÍDEO FOI GRAVADO NA HORA EM QUE AS NOSSAS FORMIGUINHA S DA LIMPEZA ESTAVAM CATANDO PELAS RUAS E AVENIDAS EXTENSAS AVENIDAS E PORTAS DE ESCOLAS ,ELAS AJUNTAVA E O VENTO ESPALHAVAM O LIXO PARECIA NÃO TER MAIS FIM ,SACOS E MAIS SACOS DE PROPAGANDA POLÍTICA ESPALHADOS PELAS RUAS OBRIGANDO AS NOSSAS FORMIGUINHAS A SE HUMILHAR E PEGAR COM A MAO LIXO DE CANDIDATOS QUE NEM SABE PELO MENOS QUE ELAS EXISTEM E NÃO LEMBRA NEM DE NEVES DURANTE A ÉPOCA QUE ESTÃO SEM ELEIÇÕES ,DEVERIA TER UMA LEI OBRIGANDO AS PREFEITURA A PAGAR UM BÔNUS EM DINHEIRO DE PELO MENOS 2 SALÁRIOS MÍNIMOS AS GARIS E OS GARIS QUE VAREM AS RUAS DURANTE CAMPANHAS ELEITORAIS,OU DESTINAR ESTA OBRIGAÇÃO AOS CANDIDATOS DA REGIÃO ,ELES PAGARIAM O TRABALHO HUMILHANTE DESSAS PESSOAS.LUVA RASGADA ASSIM VIVE NOSSAS FORMIGUINHAS ACORDA RIBEIRÃO DAS NEVES ACORDA POVO VIENENSE JÁ VI EM VARIO LUGARES AS MULHERES VARRENDO E DEIXANDO O MONTE DE LIXO E VINHA UM HOMEM COM UM CARRINHO CATANDO ,AQUI NÃO É ASSIM ,ELAS CARREGAM O MATERIAL PELO TRAJETO DO TRABALHO AMARRADO AO CORPO
COM AS MÃOS
ELAS RECOLHIAM OS SANTINHOS DE CANDIDATOS QUE ERAM ESPALHADOS PELOS FORTES VENTOS
ESTES AI DA FOTO PODERIAM SER OBRIGADOS A PAGAR UM ADICIONAL PELO TRABALHO EXAUSTIVO CAUSADO AOS PROFISSIONAIS DA LIMPEZA
AS LUVAS RASGADAS EXPONDO AS GARIS A RISCO DE MORDIDAS DE INSETOS .CORTES OU PERFURAÇÕES OU SEJA COLOCANDO A EM RISCO ESTE VÍDEO FOI FEITO HOJE DEPOIS QUE FOI REALIZADA A VOTAÇÃO O CENÁRIO ERA DE IMUNDICE GERAL,FUNCIONÁRIOS DA PREFEITURA DE RIBEIRÃO DAS NEVES ESTAVAM CATANDO SANTINHOS COM A MAO ,SEM EPI ADEQUANDO ELE VIVEM UMA ROTINA DE TRABALHO DIÁRIA CANSATIVA E DESONESTA ,OS CANDIDATOS DEVERIA PAGAR UM VALOR A MAIS AOS GARIS PELA LIMPEZA DAS RUAS APÓS AS ELEIÇÕES.UM VALOR A MAIS DO QUE O SALÁRIO BAIXO QUE ELES RECEBEM ,TALVEZ ASSIM NÃO SUJARIA AS RUAS ASSIM . VÍDEO GRAVADO DIA 05 DE OUTUBRO ANTES DE VOTAR PARA PRESIDENTE E DEMAIS CANDIDATOS A POLÍTICA FONTE:MUNDO LIVE NEWS NOTICIAS

sábado, 4 de outubro de 2014

LEI FICHA LIMPA SERÁ USADA PELA 1º VEZ NAS ELIÇOES GERAIS

Após quatro anos, Lei da Ficha Limpa será usada pela primeira vez em eleições gerais No seu aniversário de quatro anos de vigência, a Lei da Ficha Limpa será aplicada pela primeira vez em eleições gerais. Sancionada em 4 de junho de 2010, a Lei Complementar 135/2010 contou com o apoio de 1,3 milhão de assinaturas para sua aprovação pelo Congresso Nacional. A legislação prevê 14 hipóteses de inelegibilidade que impedem a candidatura de políticos que tiveram o mandato cassado, de condenados em processos criminais por órgão colegiado ou dos que renunciaram aos seus mandatos para evitar um possível processo de cassação. A punição prevista na lei é de oito anos de afastamento das urnas como candidato. A lei entrou em vigor no dia 7 de junho de 2010, data de sua publicação no Diário Oficial da União, mas foi aplicada também nas eleições municipais de 2012. Em agosto de 2010, o Tribunal Superior do Trabalho decidiu que a lei seria aplicável às eleições gerais daquele ano, ao analisar o primeiro caso sobre indeferimento de um registro de candidatura com base na inelegibilidade da Lei da Ficha Limpa. Porém, o Supremo Tribunal Federal definiu que a lei não poderia ser adotada para as eleições gerais de 2010, pois desrespeitaria o artigo 16 da Constituição, que trata do princípio da anualidade eleitoral e dispõe que “a lei que alterar o processo eleitoral não poderá ser aplicada à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência”. Após dois anos de julgamento, em fevereiro de 2012, a Lei da Ficha Limpa foi considerada constitucional pelo Supremo Tribunal Federal. Naquele ano, a Lei da Ficha Limpa impediu que pelo menos 868 candidatos a prefeitos, vice-prefeitos e vereadores a se candidatassem. A Justiça Eleitoral julgou milhares de processos referentes a candidatos apontados como inelegíveis de acordo com a lei. Dos 7.781 processos sobre registros de candidatura que chegaram ao TSE sobre as eleições de 2012, 3.366 recursos tratavam da Lei da Ficha Limpa, o que corresponde a 43% do total. O especialista em Direito Eleitoral e analista judiciário do TSE Eilzon Almeida lembra que a Lei da Ficha Limpa não é uma lei nova em relação à inelegibilidade e que a primeira norma sobre o tema foi a Lei Complementar 64/1990 (Lei de inelegibilidades), alterada pela Lei Complementar 135/2010. Para Eilzon, a demanda da população para alterar a lei se deu pelo fato de que, após quase 20 anos, a chamada Lei de inelegibilidades começou a ficar defasada. Os prazos de inelegibilidade eram relativamente curtos, de três anos. Segundo ele, casos clássicos, como a renúncia de mandato para fugir de uma cassação, não eram considerados. Outro exemplo era o de que a cassação por compra de votos não impedia o candidato de concorrer em eleição seguinte. “Por essas situações e também para tornar mais rigorosos os prazos de inelegibilidade veio a lei, a população trazendo esse projeto com mais rigor em relação às candidaturas”, conclui. Improbidade administrativa Com o propósito de fornecer à sociedade e às instituições um controle daqueles que tiveram condenações definitivas, em 2007, o Conselho Nacional de Justiça criou o Cadastro Nacional de Condenados por Ato de Improbidade Administrativa. A partir de julho de 2013, o cadastro passou a ser alimentado também com informações do Poder Judiciário sobre condenados por atos que tornam o réu inelegível, de acordo com a Lei da Ficha Limpa. Com as alterações, o sistema passou a se chamar Cadastro Nacional de Condenados por Ato de Improbidade Administrativa e por Ato que Implique Inelegibilidade. Todos os integrantes do sistema de Justiça dos órgãos do Poder Judiciário são obrigados a alimentar o cadastro. Recentemente, o CNJ firmou acordo com os tribunais de contas dos 26 estados e do Distrito Federal para fornecerem informações que possam facilitar a identificação de candidatos inelegíveis, como contas de exercícios ou funções públicas rejeitadas por irregularidades insanáveis (parágrafo 5º, artigo 11, da Lei nº 9.504/1997) — uma das hipóteses de inelegibilidade pelo período de oito anos. Também assinaram o acordo de cooperação a Corregedoria Nacional de Justiça, o Superior Tribunal de Justiça, o Conselho da Justiça Federal, a Corregedoria-Geral da Justiça Federal, o Superior Tribunal Militar, a Corregedoria da Justiça Militar da União e o Tribunal de Contas da União. O acesso às informações públicas do CNCIAI pode ser feito pelo endereço http://www.cnj.jus.br/sistemas. Neste link, é possível fazer buscas utilizando o nome ou o CPF da pessoa investigada. De acordo com a Lei da Ficha Limpa, a inelegibilidade alcança os que forem condenados pelos seguinte crimes: contra a economia popular, a fé pública, a Administração Pública e o patrimônio público; contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na lei que regula a falência; contra o meio ambiente e a saúde pública; eleitorais para os quais a lei determine a pena de prisão; de abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação à perda do cargo ou à inabilitação para o exercício de função pública; de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores; de tráfico de entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos; de redução à condição análoga à de escravo; contra a vida e a dignidade sexual; e delitos praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando. A Lei da Ficha Limpa também torna inelegíveis os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure improbidade administrativa. Estão na mesma condição aqueles detentores de cargos públicos que beneficiarem a si ou a terceiros pelo abuso do poder econômico ou político. Estão incluídos na condição de inelegíveis os que forem condenados por corrupção eleitoral, compra de votos, doação, captação ou gastos ilícitos de recursos de campanha ou por conduta vedada aos agentes públicos em campanhas eleitorais que impliquem cassação do registro ou do diploma. Os políticos que renunciarem a seus mandatos desde o oferecimento de representação ou a abertura de processo por infringência a dispositivo da Constituição Federal, da constituição estadual, da lei orgânica do Distrito Federal ou da lei orgânica do município também são inelegíveis. Estão na mesma condição os que forem condenados à suspensão dos direitos políticos, por ato intencional de improbidade administrativa que cause lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito. Da mesma forma são inelegíveis os que forem excluídos do exercício da profissão, em decorrência de infração ético-profissional, e os que forem condenados em razão de terem desfeito ou simulado desfazer vínculo conjugal ou de união estável para evitar caracterização de inelegibilidade. A lei ainda inclui os que forem demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial, e a pessoa física e os dirigentes de pessoas jurídicas responsáveis por doações eleitorais tidas por ilegais. Por fim, são inelegíveis os magistrados e os membros do Ministério Público que forem aposentados compulsoriamente por sanção, os que tenham perdido o cargo por sentença ou que tenham pedido exoneração ou aposentadoria voluntária na pendência de processo administrativo disciplinar.
Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 135, DE 4 DE JUNHO DE 2010 Altera a Lei Complementar no 64, de 18 de maio de 1990, que estabelece, de acordo com o § 9o do art. 14 da Constituição Federal, casos de inelegibilidade, prazos de cessação e determina outras providências, para incluir hipóteses de inelegibilidade que visam a proteger a probidade administrativa e a moralidade no exercício do mandato. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: Art. 1o Esta Lei Complementar altera a Lei Complementar no 64, de 18 de maio de 1990, que estabelece, de acordo com o § 9o do art. 14 da Constituição Federal, casos de inelegibilidade, prazos de cessação e determina outras providências. Art. 2o A Lei Complementar nº 64, de 1990, passa a vigorar com as seguintes alterações: “Art. 1o ................................................................................................................................... I – ............................................................................................................................................ .................................................................................................................................................... c) o Governador e o Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal e o Prefeito e o Vice-Prefeito que perderem seus cargos eletivos por infringência a dispositivo da Constituição Estadual, da Lei Orgânica do Distrito Federal ou da Lei Orgânica do Município, para as eleições que se realizarem durante o período remanescente e nos 8 (oito) anos subsequentes ao término do mandato para o qual tenham sido eleitos; d) os que tenham contra sua pessoa representação julgada procedente pela Justiça Eleitoral, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão colegiado, em processo de apuração de abuso do poder econômico ou político, para a eleição na qual concorrem ou tenham sido diplomados, bem como para as que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes; e) os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de 8 (oito) anos após o cumprimento da pena, pelos crimes: 1. contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público; 2. contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na lei que regula a falência; 3. contra o meio ambiente e a saúde pública; 4. eleitorais, para os quais a lei comine pena privativa de liberdade; 5. de abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação à perda do cargo ou à inabilitação para o exercício de função pública; 6. de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores; 7. de tráfico de entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos; 8. de redução à condição análoga à de escravo; 9. contra a vida e a dignidade sexual; e 10. praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando; f) os que forem declarados indignos do oficialato, ou com ele incompatíveis, pelo prazo de 8 (oito) anos; g) os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, para as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição; h) os detentores de cargo na administração pública direta, indireta ou fundacional, que beneficiarem a si ou a terceiros, pelo abuso do poder econômico ou político, que forem condenados em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, para a eleição na qual concorrem ou tenham sido diplomados, bem como para as que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes; .......................................................................................................................... j) os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão colegiado da Justiça Eleitoral, por corrupção eleitoral, por captação ilícita de sufrágio, por doação, captação ou gastos ilícitos de recursos de campanha ou por conduta vedada aos agentes públicos em campanhas eleitorais que impliquem cassação do registro ou do diploma, pelo prazo de 8 (oito) anos a contar da eleição; k) o Presidente da República, o Governador de Estado e do Distrito Federal, o Prefeito, os membros do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas, da Câmara Legislativa, das Câmaras Municipais, que renunciarem a seus mandatos desde o oferecimento de representação ou petição capaz de autorizar a abertura de processo por infringência a dispositivo da Constituição Federal, da Constituição Estadual, da Lei Orgânica do Distrito Federal ou da Lei Orgânica do Município, para as eleições que se realizarem durante o período remanescente do mandato para o qual foram eleitos e nos 8 (oito) anos subsequentes ao término da legislatura; l) os que forem condenados à suspensão dos direitos políticos, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, por ato doloso de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito, desde a condenação ou o trânsito em julgado até o transcurso do prazo de 8 (oito) anos após o cumprimento da pena; m) os que forem excluídos do exercício da profissão, por decisão sancionatória do órgão profissional competente, em decorrência de infração ético-profissional, pelo prazo de 8 (oito) anos, salvo se o ato houver sido anulado ou suspenso pelo Poder Judiciário; n) os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, em razão de terem desfeito ou simulado desfazer vínculo conjugal ou de união estável para evitar caracterização de inelegibilidade, pelo prazo de 8 (oito) anos após a decisão que reconhecer a fraude; o) os que forem demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial, pelo prazo de 8 (oito) anos, contado da decisão, salvo se o ato houver sido suspenso ou anulado pelo Poder Judiciário; p) a pessoa física e os dirigentes de pessoas jurídicas responsáveis por doações eleitorais tidas por ilegais por decisão transitada em julgado ou proferida por órgão colegiado da Justiça Eleitoral, pelo prazo de 8 (oito) anos após a decisão, observando-se o procedimento previsto no art. 22; q) os magistrados e os membros do Ministério Público que forem aposentados compulsoriamente por decisão sancionatória, que tenham perdido o cargo por sentença ou que tenham pedido exoneração ou aposentadoria voluntária na pendência de processo administrativo disciplinar, pelo prazo de 8 (oito) anos; ........................................................................................................................................... § 4o A inelegibilidade prevista na alínea e do inciso I deste artigo não se aplica aos crimes culposos e àqueles definidos em lei como de menor potencial ofensivo, nem aos crimes de ação penal privada. § 5o A renúncia para atender à desincompatibilização com vistas a candidatura a cargo eletivo ou para assunção de mandato não gerará a inelegibilidade prevista na alínea k, a menos que a Justiça Eleitoral reconheça fraude ao disposto nesta Lei Complementar.” (NR) “Art. 15. Transitada em julgado ou publicada a decisão proferida por órgão colegiado que declarar a inelegibilidade do candidato, ser-lhe-á negado registro, ou cancelado, se já tiver sido feito, ou declarado nulo o diploma, se já expedido. Parágrafo único. A decisão a que se refere o caput, independentemente da apresentação de recurso, deverá ser comunicada, de imediato, ao Ministério Público Eleitoral e ao órgão da Justiça Eleitoral competente para o registro de candidatura e expedição de diploma do réu.” (NR) “Art. 22. ................................................................................................................................ .................................................................................................................................................. XIV – julgada procedente a representação, ainda que após a proclamação dos eleitos, o Tribunal declarará a inelegibilidade do representado e de quantos hajam contribuído para a prática do ato, cominando-lhes sanção de inelegibilidade para as eleições a se realizarem nos 8 (oito) anos subsequentes à eleição em que se verificou, além da cassação do registro ou diploma do candidato diretamente beneficiado pela interferência do poder econômico ou pelo desvio ou abuso do poder de autoridade ou dos meios de comunicação, determinando a remessa dos autos ao Ministério Público Eleitoral, para instauração de processo disciplinar, se for o caso, e de ação penal, ordenando quaisquer outras providências que a espécie comportar; XV – (revogado); XVI – para a configuração do ato abusivo, não será considerada a potencialidade de o fato alterar o resultado da eleição, mas apenas a gravidade das circunstâncias que o caracterizam. ............................................................................................................................................” (NR) “Art. 26-A. Afastada pelo órgão competente a inelegibilidade prevista nesta Lei Complementar, aplicar-se-á, quanto ao registro de candidatura, o disposto na lei que estabelece normas para as eleições.” “Art. 26-B. O Ministério Público e a Justiça Eleitoral darão prioridade, sobre quaisquer outros, aos processos de desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade até que sejam julgados, ressalvados os de habeas corpus e mandado de segurança. § 1o É defeso às autoridades mencionadas neste artigo deixar de cumprir qualquer prazo previsto nesta Lei Complementar sob alegação de acúmulo de serviço no exercício das funções regulares. § 2o Além das polícias judiciárias, os órgãos da receita federal, estadual e municipal, os tribunais e órgãos de contas, o Banco Central do Brasil e o Conselho de Controle de Atividade Financeira auxiliarão a Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral na apuração dos delitos eleitorais, com prioridade sobre as suas atribuições regulares. § 3o O Conselho Nacional de Justiça, o Conselho Nacional do Ministério Público e as Corregedorias Eleitorais manterão acompanhamento dos relatórios mensais de atividades fornecidos pelas unidades da Justiça Eleitoral a fim de verificar eventuais descumprimentos injustificados de prazos, promovendo, quando for o caso, a devida responsabilização.” “Art. 26-C. O órgão colegiado do tribunal ao qual couber a apreciação do recurso contra as decisões colegiadas a que se referem as alíneas d, e, h, j, l e n do inciso I do art. 1o poderá, em caráter cautelar, suspender a inelegibilidade sempre que existir plausibilidade da pretensão recursal e desde que a providência tenha sido expressamente requerida, sob pena de preclusão, por ocasião da interposição do recurso. § 1o Conferido efeito suspensivo, o julgamento do recurso terá prioridade sobre todos os demais, à exceção dos de mandado de segurança e de habeas corpus. § 2o Mantida a condenação de que derivou a inelegibilidade ou revogada a suspensão liminar mencionada no caput, serão desconstituídos o registro ou o diploma eventualmente concedidos ao recorrente. § 3o A prática de atos manifestamente protelatórios por parte da defesa, ao longo da tramitação do recurso, acarretará a revogação do efeito suspensivo.” Art. 3o Os recursos interpostos antes da vigência desta Lei Complementar poderão ser aditados para o fim a que se refere o caput do art. 26-C da Lei Complementar nº 64, de 18 de maio de 1990, introduzido por esta Lei Complementar. Art. 4o Revoga-se o inciso XV do art. 22 da Lei Complementar nº 64, de 18 de maio de 1990. Art. 5o Esta Lei Complementar entra em vigor na data da sua publicação. Brasília, 4 de junho de 2010; 189o da Independência e 122o da República. LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Luiz Paulo Teles Ferreira Barreto Luis Inácio Lucena Adams Este texto não substitui o publicado no DOU de 7.6.2010 FONTE:https://news.google.com.br/

GANHOU MAIS NAO LEVOU :800 candidatos devem ficar com votação zerada

Quase 800 candidatos devem ficar com votação zerada Terra Na apuração das urnas no domingo, quase 800 candidatos devem aparecer com votação zerada. Segundo números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 794 tiveram suas candidaturas rejeitadas pela Justiça Eleitoral, mas podem concorrer porque ainda aguardam recurso. Os votos de candidatos nesta situação incerta não são totalizados na apuração geral e apenas aparecem em uma tela específica do site do TSE. Somente após o julgamento dos recursos pendentes, caso haja mudança na situação, os votos são recalculados, o que pode gerar alteração na eleição e na composição das bancadas, no caso de parlamentares. A situação representa apenas 3,51% de todos registros de candidaturas julgados. Outros 332 (1,47%) foram autorizados a concorrer, mas ainda têm a candidatura questionada. Candidatos a deputados estaduais representam a maior fatia nesta situação: 470. Na sequência, aparecem os que tentam uma vaga na Câmara dos Deputados: 277. É o caso do deputado Paulo Maluf (PP-SP), que tenta a reeleição, mas foi impedido de concorrer pelo TSE com base na lei da Ficha Limpa. O tribunal ainda não julgou um recurso apresentado pelo parlamentar. Entre candidatos a governador, apenas três aparecem nesta situação: Marco Carrera, que concorre pelo Psol no Pará; Muvuca, candidato pelo PHS em Mato Grosso; e Perci Marrara, candidata do PCO no Distrito Federal. Entre candidatos a senador, oito devem aparecer com votos zerados em todo País. Os números ainda devem sofrer alterações, já que alguns dados ainda precisam ser atualizados por tribunais regionais. Liberado pelo TSE em 23 de setembro, o candidato ao Senado pelo DEM no Rio de Janeiro, Cesar Maia, ainda consta no sistema como “indeferido com recurso”. A assessoria do TSE informou que os votos serão totalizados, mas que, neste caso, o sistema não foi atualizado pelo tribunal local. TSE diz ter julgado 95% dos registros Segundo informou o TSE na manhã desta sexta-feira que estavam pendentes 634 processos sobre registros de candidaturas, sendo que 187 ainda nem haviam sido analisados. Ao todo, o TSE recebeu 1.766 processos de registro de candidatura, sendo que 1.579 receberam algum tipo de decisão. Desses, 447 ainda estão pendentes de recurs, caso de Maluf. O presidente do TSE, José Antonio Dias Toffoli, disse que os tribunais regionais votaram todos os processos, enquanto o TSE já concluiu 95% da carga. Ele admitiu, no entanto, que alguns casos podem ficar para depois das eleição. “Nós já votamos mais de 95% de todos os processos. Os TREs votaram todos. De tal forma que as candidaturas estão praticamente todas já decididas. Se houver algum rescaldo, isso é mínimo e ficará para a decisão em outubro”, disse. FONTE:GOOGLE NOTICIAS

RETA FINAL :Pesquisa Eleitoral para Presidente 02/10/2014

Ibope - Pesquisa para Presidente 02/Out/2014 Neste último levantamento Ibope, a presidente Dilma permanece na primeira posição, 16 pontos percentuais à frente da segunda colocada, a candidata Marina Silva.
Na mais recente pesquisa eleitoral presidencial em 2014 encomendada pelo próprio Ibope, divulgada dia 02 de outubro, Dilma continua na liderança, mas ainda com a possibilidade de disputar um segundo turno com Marina Silva. Candidato Intenções de Voto (%) Dilma (PT) 40% Marina Silva (PSB) 24% Aécio Neves (PSDB) 19% Pastor Everaldo (PSC) 1% Luciana Genro (PSOL) 1% Zé Maria (PSTU)* 0% Eduardo Jorge (PV)* 0% Rui Costa Pimenta (PCO)* 0% Eymael (PSDC)* 0% Levy Fidelix (PRTB)* 0% Mauro Iasi (PCB)* 0% Branco/Nulo 8% Não Sabe/Não Respondeu 7% * Os candidatos que aparecem com 0% não alcançaram a pontuação mínima de 1% das intenções de voto e, juntos, totalizaram 1%. Neste levantamento testaram também três possíveis cenários de segundo turno. Numa disputa direta entre as duas candidatas mais bem colocadas, Dilma seria reeleita com 43% das intenções de voto, enquanto Marina Silva ficaria em segundo lugar com 36%. Os votos em branco ou nulo somaram 12% e os que não sabem ou não responderam 8%. Em uma simulação com Dilma e Aécio Neves, Dilma também venceria, mas neste caso com 46% das intenções de voto, contra os 33% alcançados por Aécio. 12% optaram pelo voto em branco ou nulo e 9% ainda não sabem em quem votar ou não quiseram opinar. Caso Marina Silva enfrentasse Aécio Neves em um segundo turno, Marina seria eleita com 38% das intenções de voto, enquanto Aécio Neves alcançaria a segunda posição com 33%. Os votos em branco ou nulo totalizaram 18% e os indecisos 11%. A pesquisa foi realizada entre os dias 29 de setembro e 01 de outubro de 2014 com 3.010 eleitores em 205 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos com um nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob o protocolo nº BR-00942/2014 e foi divulgada no site Globo.com. FONTE:INTERNET

ADEUS :Hugo Carvana morre aos 77 anos Diretor fez filmes como 'Vai trabalhar, vagabundo' e 'Bar Esperança'. Como ator, trabalhou nas novelas 'Roda de fogo' e 'Celebridades'.

O cineasta e ator Hugo Carvana morreu neste sábado (4) aos 77 anos no Rio. De acordo com o hospital em que Carvana estava internado desde o último domingo (28), ele tinha câncer no pulmão. Ainda não há informações sobre o velório. Ao longo da carreira, iniciada em 1955, Hugo Carvana ficou marcado por retratar o típico "malandro carioca" em suas comédias de costumes. Foi ator de mais de 50 filmes. Dentre as produções que dirigiu, estão "Vai trabalhar, vagabundo" (1973), "Se segura, malandro" (1977), "Bar Esperança, o último que fecha" (1982), "O homem nu" (1996), "Casa da mãe Joana" (2007) e "Não se preocupe, nada vai dar certo" (2009). Na TV Globo, atuou também em novelas como "Corpo a corpo" (1984), "Roda de fogo" (1986), "O dono do mundo" (1991), "De corpo e alma" (1992), "Fera ferida" (1993), "Celebridade" (2003) e "Paraíso tropical" (2007). Um de seus papéis mais conhecidos foi o do repórter policial Valdomiro Pena, do seriado "Plantão de polícia" (1979-1981). Seu último trabalho como diretor foi "Casa da mãe Joana 2" (2013). Como ator, fez parte do elenco de "Giovanni Improtta" (2013), de José Wilker. Hugo Carvana nasceu no dia 4 de julho de 1937, filho da costureira Alice Carvana de Castro e do comandante da Marinha Clóvis Heloy de Hollanda. Era "um ilustre suburbano de Lins de Vasconcelos, que nunca renegou sua origem simples", conforme destaca o perfil no site oficial. O texto reforça que o ator e diretor ficou marcado em sua trajetória por ter "um quê de malandragem". Na juventude, para conseguir entrar no estádio e torcer pelo Fluminense, costumava se disfarçar de vendedor de balas e ambulante. "Figura obrigatória nas mesas dos bares da noite carioca, cultivou amizade com grandes nomes da boemia e das artes – Roniquito, Ary Barroso, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, foram alguns", diz o perfil. "Através dessa vivência criou personagens que povoam o universo carioca, como o malandro Dino em 'Vai trabalhar vagabundo'." A primeira vez em que viveu esse tipo de personagem foi em "O capitão Bandeira contra o dr. Moura Brasil" (1970), de Antônio Calmon.
FONTE:G1.COM