quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Lava do vulcão Kilauea avança no Havaí e ameaça várias casas Rio incandescente ruma para área de lixão de Pahoa. Lava pode isolar 9 mil pessoas.

Lava do vulcão Kilauea ameça isolar 9 mil moradores na Ilha Grande do Havaí. (Foto: Serviço Geológico dos EUA / Via AP Photo) A lava do vulcão Kilauea continua avançando nesta quinta-feira (13) na Ilha Grande do Havaí, nos Estados Unidos, e ainda ameaça cerca de 50 casas da cidade de Pahoa. Mas o maior perigo no momento está em um depósito de lixo municipal, que já está cercado pelo rio de rocha incandescente. Os agentes da Defesa Civil do condado do Havaí informaram que a lava segue para o depósito de lixo de Pahoa, e já cobriu o asfalto da estrada que o rodeia. A lava do Kilauea vem avançando desde junho e incinerou, na última segunda (10), a primeira casa em Pahoa, uma pequena cidade de aproximadamente mil habitantes e cujos moradores já estão, há vários dias, em alerta. Após engolir a primeira casa, a lava cobriu um aterro e encheu uma vala para, em seguida, chegar à estrada. Todos os materiais perigosos e valiosos do depósito de lixo foram retirados há várias semanas. As autoridades acreditam que esse local será logo engolido pelo rio de lava. Além disso, a lava poderia chegar à rodovia 130, a única que liga o distrito de Puna com o restante da ilha, o que deixaria cerca de 9 mil pessoas isoladas. Nos últimos dias, na medida em que se aproximava da cidade, a lava cobriu uma estrada local, um cemitério e um pequeno barraco. O Havaí declarou estado de emergência pelo avanço da lava no dia 5 de setembro. O governo federal enviou 80 integrantes da Guarda Nacional e ajuda adicional para a ilha na semana passada. As erupções do Kilauea, um dos maiores vulcões do mundo, são contínuas desde 1983 e as autoridades vêm monitorando o avanço da lava desde o início de junho. A ilha do Havaí, também conhecida como Ilha Grande para diferenciá-la do nome do estado, é a mais extensa das oito que formam este arquipélago no Oceano Pacífico.
FONTE:G1.COM

Postar um comentário