segunda-feira, 16 de março de 2015

IRAQUE X ESTADO ISLÂMICO :GUERRA AO TERRORISMO

Iraque precisa de mais ataques aéreos para expulsar EI de Tikrit Ofensiva está paralisada há quatro dias após forças entrarem na cidade. Militantes estão escondidos em um vasto complexo de palácios.
Jovens milicianos são vistos antes de combates com o Estado Islâmico em Tikrit neste domingo (15) (Foto: Khalid Mohammed/AP) O Iraque informou nesta segunda-feira (16) que colocou a ofensiva em Tikrit em espera e autoridades pediram por mais ataques aéreos para expulsar militantes do Estado Islâmico que colocaram explosivos pela cidade e ainda controlam os distritos centrais. A ofensiva, a maior até agora contra os insurgentes que dominaram o norte iraquiano em junho, está paralisada há quatro dias, após forças iraquianas e milícias xiitas entrarem em Tikrit na última semana. As forças iraquianas e milícias xiitas têm sofrido para ganhar mais território contra os militantes que estão escondidos em um vasto complexo de palácios construídos quando Saddam Hussein estava no poder. Autoridades militantes em Tikrit, cidade natal de Saddam, disseram que não houve conflito nesta segunda-feira na cidade, com mais de 250 mil habitantes antes de ser dominada no último ano. Forças do governo estão no controle da maior parte do distrito norte de Qadisiya, assim como partes ao sul e leste da cidade, cercando os militantes em uma área delimitada pelo rio que passa por Tikrit. Embora forças iraquianos e milícias aliadas possam estar restringindo os insurgentes, autoridades estão citando cada vez mais a necessidade de poder aéreo para retirar os insurgentes remanescentes. "Nós precisamos de suporte aéreo de qualquer força que possa trabalhar conosco contra o Estado Islâmico", disse ministro da Defesa, Ibrahim al-Lami, à Reuters, se recusando a dizer se falava sobre a aliança liderada pelos Estados Unidos ou o Irã, que participa do ataque. O ministro do Interior, Mohammed al-Ghaban, disse que "a situação está sob controle e vamos escolher a hora apropriada para atacar o inimigo e liberar a área". VEJA AINDA , Franco-atiradores e bombas retardam avanço de forças iraquianas em Tikrit Comando militar tem apoio de milícia xiita em ofensiva contra o EI. Cidade está em poder dos jihadistas desde junho.
Forças de segurança iraquianas e milicianos xiitas se preparam para atacar extremistas do Estado Islâmico em Tikrit nesta quinta-feira (12) (Foto: Khalid Mohammed/AP) As forças de segurança iraquianas, apoiadas por uma milícia xiita, trocaram tiros esporadicamente com combatentes do Estado Islâmico em Tikrit nesta quinta-feira (12), um dia depois de terem avançado para o interior da cidade-natal de Saddam Hussein, em sua maior ofensiva até agora contra os militantes islamistas. Uma fonte do comando militar local informou que houve troca intermitente de tiros na parte da manhã enquanto os combatentes do Exército e das milícias lutavam para avançar nas zonas sul, norte e noroeste da cidade, que eles ocuparam nas últimas 24 horas Os milicianos do Estado Islâmico assumiram o controle de Tikrit em junho, durante uma ofensiva-relâmpago que foi detida apenas na periferia de Bagdá. Eles usam como sua sede o complexo de palácios construídos em Tikrit sob Saddam, o ex-presidente derrubado e executado. Segundo a fonte militar, os insurgentes ainda ocupam o complexo presidencial e pelo menos três outros distritos no centro de Tikrit, e impedem o avanço do Exército com a ação de franco-atiradores e colocação de bombas. Um fotógrafo da Reuters viu um carro-bomba explodir na zona sul da cidade e autoridades do setor de segurança disseram que combatentes do Estado Islâmico montaram armadilhas em prédios abandonados. Se o governo iraquiano, liderado pelos xiitas, retomar Tikrit, essa seria a primeira cidade recuperada dos insurgentes sunitas, o que daria impulso à próxima fase, crucial na campanha: a recuperação de Mossul, a maior cidade do norte do país. Mossul é também a maior cidade em posse do Estado Islâmico, milícia ultrarradical que ocupa regiões sunitas da Síria e do Iraque, nas quais instituiu um regime que define como um califado. Mais de 20.000 soldados iraquianos e milícias xiitas apoiados pelo Irã, conhecidas como Hashid Shaabi, com o reforço de tribos sunitas locais, lançaram a ofensiva rumo a Tikrit há dez dias, avançando a partir do leste e ao longo das margens do rio Tigre. Na terça-feira eles tomaram a localidade de al-Alam, no extremo norte de Tikrit, abrindo caminho para um ataque à cidade de Saddam. Ao norte de Tikrit, os militantes islamistas explodiram a ponte al-Fatha, que conecta a rodovia norte-sul ao longo do rio Tigre com a cidade de Hawijah, situada a nordeste e que está sob o poder do Estado Islâmico. FONTE:G1.COM IRA

Postar um comentário