segunda-feira, 2 de março de 2015

RISCO DE CONFRONTO ENTRE COREIAS E ESTADOS UNIDOS:Coreia do Norte se irrita com exercícios militares de EUA e Coreia do Sul

DCI - Diário Comércio Indústria & Serviços Home Política & Economia Finanças & Mercados Negócios Legislação & Tributos Opinião DCI SP DCI mais Finanças Investimentos & Finanças Pessoais Siga-nos Google+ Linkedin YouTube Twitter Facebook RSS Login | Cadastre-se Internacional Tweetar Imprimir matéria 0 02/03/2015 - 16h15 Coreia do Norte se irrita com exercícios militares de EUA e Coreia do Sul Reuters Líder norte-coreano durante encontro militar Líder norte-coreano durante encontro militar Foto: Reuters Por Ju-min Park SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte disparou dois mísseis de pequeno-alcance de sua costa leste nesta segunda-feira, disseram autoridades sul-coreanas, uma resposta desafiadora aos exercícios militares conjuntos realizados anualmente entre Coreia do Sul e Estados Unidos, o que gerou um rápido protesto do Japão. O lançamento aconteceu horas antes dos exercícios militares norte-americano e sul-coreano começarem, exercícios que o Norte denuncia como uma preparação para a guerra. Os mísseis caíram no mar entre a península coreana e o sul do Japão no início da manhã desta segunda-feira, após viajar cerca de 490 quilômetros, de acordo com o ministro da Defesa da Coreia do Sul. O porta voz do ministro, Kim Min-seok, disse que a Coreia do Norte disparou os mísseis sem designação de zonas proibidas para navegação, o que foi considerado uma provocação. "Se a Coreia do Norte tomar ações provocativas, nosso Exército vai reagir firme e fortemente para fazer com que o Norte se arrependa", disse Kim em entrevista coletiva. Um porta-voz do Departamento de Estado norte-americano disse que tal lançamento de mísseis representa uma ameaça à paz na região. O porta-voz também disse que os EUA pedem à Coreia do Norte que "se abstenha de ações provocativas que elevem tensões na região". Pyongyang intensificou sua retórica contra os exercícios, e um porta-voz do escritório geral do Exército disse que Washington e Seul "deveriam ser tratados apenas com ataques sem misericórdia". O Japão rapidamente protestou com a Coreia do Norte sobre os últimos lançamentos de mísseis, dizendo que é uma séria ameaça à segurança marítima e aérea. O Japão traça uma linha fina entre transmitir sua condenação a Pyongyang por conta de tais ações, enquanto tenta não prejudicar as conversas bilaterais para resolver a questão dos cidadãos japoneses sequestrados por agentes norte-coreanos décadas atrás. Em julho, o Japão diminuiu algumas sanções contra a Coreia do Norte em troca da reabertura de uma investigação sobre o paradeiro dos japoneses desaparecidos, mas pouco progresso tem sido feito até agora. A Coreia do Norte frequentemente testa mísseis de pequeno-alcance na sua costa como parte de treinamentos militares. A Organização das Nações Unidas (ONU) impôs sanções proibindo a Coreia do Norte de usar tecnologias de mísseis balísticos. (Reportagem adicional de Kaori Kaneko e Kiyoshi Takenaka, em Tóquio; e de David Brunnstrom, em Washington) FONTE:www.dci.com.br

Postar um comentário