sexta-feira, 3 de abril de 2015

Dificuldade para encontrar roupas faz técnica de farmácia emagrecer 45 kg

Gabriela Rego chegou a 123 kg, mas diz que obesidade não a incomodava. Ela começou com dieta Dukan, mas depois optou por reeducação alimentar. Fabíola Glenia Do G1, em São Paulo A obesidade sempre fez parte da vida da técnica de farmácia Gabriela Rego, de 24 anos, que começou a engordar ainda criança, mas, ela garante que isso não a incomodava. “Sou bem extrovertida, nunca tive problema com amigos da escola, colegas de trabalho. Eu me sentia bem, eu tinha amigos, namorado, saía, então, meu peso não era um problema para mim”, garante.
A técnica de farmácia Gabriela Rego emagreceu quase 45 kg em cerca de um ano (Foto: Arquivo pessoal/Gabriela Rego) Mas se o excesso de peso não era exatamente um problema, o fato de não encontrar roupas bacanas que lhe servissem passou a ser – e isso serviu de estímulo para que, no ano passado, Gabriela decidisse emagrecer. A técnica de farmácia conta que sua mãe sempre trabalhou fora, e ela e os dois irmãos mais velhos – que não são obesos – ficavam sozinhos em casa. “Eu não tinha horário para comer e não me preocupava.”
Depois do seu casamento, em 2010, a situação só piorou. “Nunca gostei de cozinhar. Minha compra de supermercado só tinha besteira, muito refrigerante, salgadinho, congelados, fritura. Além disso, a gente saía bastante para comer, ia muito a fast food.” Dessa maneira, Gabriela acabou chegando aos 122,7 kg. Foi então que ela tomou a decisão de mudar. Ela conversou com uma amiga que havia emagrecido 15 kg com a dieta do nutricionista francês Pierre Dukan. Gabriela pegou o livro emprestado e começou a seguir as orientações. “Me adaptei porque sou muito carnívora. Não era uma dificuldade para mim tirar a massa, o pão, a farinha branca. Agora, proteína, legumes e laticínios, isso eu não conseguia tirar.” Ela se manteve nesta dieta de fevereiro do ano passado até agosto, quando então começou a notar que estava perdendo muito cabelo, além de estar sentindo falta de alguns alimentos, como arroz e feijão. Gabriela procurou uma endocrinologista, que a orientou a fazer uma reeducação alimentar. “Com a mudança da Dukan para a reeducação mudou até meu humor, porque quando você faz uma dieta muito rígida, isso mexe com o humor. Com a reeducação alimentar, me senti melhor. Posso comer tudo, mas tudo regrado.” Ela continua emagrecendo, mas hoje de forma mais gradual. E parte dos seus esforços, neste momento, está voltada para o ganho de massa muscular. Gabriela vai à academia de segunda a sexta-feira. No início, em junho do ano passado, ela ficava cerca de quatro horas no local; atualmente, fica “só” duas horas e meia, em média, onde se divide entre musculação e atividades aeróbicas como esteira, bicicleta, step, dança e pilates.
Ela prioriza as proteínas e legumes, mas entendeu que carboidrato também é importante para o corpo (Foto: Arquivo pessoal/Gabriela Rego) O principal desafio da técnica de farmácia foi controlar a compulsão por comida. “Sempre fui muito ansiosa.” Hoje, depois de mais de um ano, ela já não consegue mais comer como antes, tanto no que diz respeito à quantidade, como à qualidade dos alimentos. “Antes eu comia quatro pedaços de pizza e dormia bem. Hoje, se como algo mais pesado na hora de dormir, passo mal.” Ao longo deste período, Gabriela disse que nunca pensou em desistir, mas chegou a ficar muito ansiosa para ver resultado. “Teve momentos de querer ficar três dias sem jantar, eu decidia tomar só chá. Consegui superar isso, hoje não pulo mais refeição.” Gabriela está pesando 78 kg, um emagrecimento de quase 45 quilos. Sua meta é chegar aos 72 kg.
Gabriela diz que o excesso de peso não a incomodava, mas resolveu emagrecer principalmente pela dificuldade de encontrar roupas bacanas (Foto: Arquivo pessoal/Gabriela Rego) FONTE:G1.COM

Postar um comentário