segunda-feira, 8 de junho de 2015

Americano usa camisa para derrubar drone e se dá mal

Americano usa camisa para derrubar drone e dá prejuízo de US$ 1.350; veja

Donos da máquina voadora dizem que agressor estava bêbado.
Eles processam o homem por vandalismo

Homem usa camisa para derrubar drone e dá prejuízo de US$ 1.350 (Reprodução/Youtube) 
 Americano, aparentemente bêbado, usa camisa para 'nocautear' drone e causa prejuízo de US$ 1.350. (Foto: Reprodução/Youtube)
Um norte-americano aparentemente embriagado descontente com um drone que voava em sua rua resolveu o problema à sua maneira: usou a camisa para acertar a máquina. O saldo da brincadeira: prejuízo de US$ 1.350 para os donos do veículo aéreo não tripulado e um indiciamento por vandalismo para o homem.
O caso ocorreu em 3 de junho em Huntington Beach, na Califórnia (EUA). Funcionários da Lucky 7 Drones, uma empresa que vende essas máquinas, gravavam um vídeo para mostrar as funções de um quadricóptero DJI Phanton 3

O drone voava a não pouco mais de um metro e meio acima do chão quando um homem o atingiu com uma camisa. Antes de cair no asfalto, o vant atingiu a perna do sujeito. Além de danificar a máquina voadora, o golpe ainda quebrou a câmera que estava acoplada, capaz de fazer imagens em 4K.
“O cara estava bêbado além do acreditável e não tinha senso de realidade”, informou a empresa. De acordo com ela, o “vizinho estava tão bêbado que mal conseguia falar quando os policiais chegaram”.
Os policiais afirmaram que, na Califórnia, danificar a propriedade de alguém que custe mais de US$ 900 era considerado crime. Os agentes explicaram que poderiam prendê-lo por isso, mas o sujeito não respondeu bem. Sem que o homem respondesse ou entendesse bem às informações dos policiais, eles sugeriram que ele ficasse sóbrio e desse o valor do drone para não ser indiciado.
Nos últimos dias, os funcionários da Lucky 7 Drone tentaram obter o dinheiro do homem duas vezes. Como não tiveram sucesso, entraram com uma ação contra ele em um tribunal de pequenas causas da Califórnia
fonte:g1.com
Postar um comentário